Seguidores

domingo, 30 de dezembro de 2012

Presentes de Natal


Agora que o Natal já lá vai, já posso mostrar alguns presentinhos...
 
Este ano segui como regra fundamental "Gastar o mínimo e personalizar o máximo"!!
 
Fiz o seguinte:
  • Licor de Canela;
  • Doce de Abóbora com noz;
  • Mel;
  • Saquinhos "multiusos";
  • Saquinhos de pano de chá de tília;
  • Saquinhos de pano de sabonetes de alfazema.
Depois fui combinando estes produtos com cd´s, livros, cremes e produtos de maquilhagem, tendo em conta as pessoas a quem se destinavam.
 
Resultado: fazendo a média do dinheiro gasto com o nº de pessoas presenteadas, deu um baixo valor por pessoa.
 
Claro está que as muitas horinhas de trabalho e dedicação não são pagas por valor nenhum, apenas por sorrisos e elogios na hora de receber os presentes!!
 
Deixo algumas imagens:
 
As garrafinhas de Licor de Canela e o Doce de Abóbora e Noz:

 
 
 
Acho que os materiais/objetos têm de se adaptar constantemente a novos projetos e funcionalidades, tudo pode ser olhado sob outro ponto de vista e ter outro uso!
 
E foi isso que fiz: os meus embrulhos de Natal são sacos de papel usados para o pão decorados com um naperon de papel normalmente usados para bolos!
 
Os meus saquinhos de pano "multiusos"...
 

 
Na azáfama de ter tudo pronto atempadamente, acabei por não fotografar algumas coisas... Vou tentar ainda fazê-lo, para que possam ficar registadas aqui.
 
Balanço Final dos presentes de Natal 2012: Bastante trabalho, a quantia gasta, ainda que elevada, foi substancialmente inferior ao que poderia ser... Enfim, na generalidade foi Positivo!
 


domingo, 23 de dezembro de 2012

Decoração de Natal

Este ano decidi destacar outros elementos decorativos alusivos à época natalícia e, por isso, não foi feita a Árvore de Natal.
 
Deixo aqui fotografias de alguns dos apontamentos natalícios que estão espalhados aqui pela Minha Casinha d'Aldeia:
 
 
 
 
 
E votos de um...
 
 
 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Frasco de Vidro

Este frasco de vidro estava na casa da minha mãe, era de uns pickles, e tem "quase dois palmos" de altura. É raro encontrarmos frascos tão grandes. 
Esteve algum tempo há espera de um upgrade até que o seu dia também chegou.

 
Chegou à minha mão "já a meio": sem rótulos e com uma tampa de cortiça feita pelo Papá, para substituir a de metal, que já estava feia e ferrugenta.
 
A tampa de cortiça dá-lhe um ar rústico, e não o poderia decorar de forma muito elaborada, pois a sua utilização tornar-se-ía pouco prática.
 
A solução encontrada foi então colocar-lhe uma tira deste tecido de quadradinhos castanhos, uma fitinha creme e um acabamento com fio de cordel.

E o resultado final foi este:

Simples e prático, para guardar bolinhos e bolachinhas na cozinha nova da Casinha dos Papás!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Andei a ler...

É sempre isto que acontece... nas épocas de maior trabalho, quando o tempo é escasso para dar resposta às minhas obrigações, deixo tudo para trás e mantenho o meu equilibrio mental através da "leituroterapia".
Foi-me recomendada uma autora, Carmo Miranda Machado.
 
"Maria do Carmo Miranda Machado neaceu na pequena aldeia de Vale Vargo, situada na margem esquerda do Guadiana, onde viveu até aos 17 anos. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade Católica Portuguesa, tem dedicado toda a sua vida ao ensino de jovens na Escola Secundária D. Dinis, em Chelas, bem como à formação de adultos (...)"
 
Encontrei esta pequena entrevista à autora, no âmbito do livro "Eu Mulher de Mim": http://www.youtube.com/watch?v=hI0W2QvOBEA&noredirect=1
 Li dois dos seus três livros:


"Eu Mulher de Mim apresenta-nos as vivências de várias personagens dos nossos dias, às voltas com a descoberta de si próprias e de um sentido para a vida. Entrecruzam-se várias histórias onde a depressão, o amor, a traição, sofrimento, o suicídio, a desilusão e o sonho estão omnipresentes. Mais do que simples personagens com vida interior, encontramos seres autênticos em demanda do seu próprio Graal. Pairam sobre estas páginas os dramas e as alegrias de que são feitas as vidas: encontros e desencontros, amores e desamores, vícios e profissões, verdades e mentiras, ausências e perdas, tudo interligado por uma linha ténue que separa, em muitos de nós, a sanidade da loucura."


O Homem das Violetas Roxas é um romance que nos confronta com três personagens de alma límpida mas cuja vida foi entupida, de uma forma ou de outra, pela tristeza: um curador de almas, uma mulher em busca da sua identidade e uma velha enlouquecida por segredos e mistérios esquivos, próprios das mulheres que não foram amadas. * * * * "Ao sentir-se envelhecer, ele perdera a vontade de ir na procissão e refugiou-se naquele local perto do mar. Ali sentia-se a presença de Deus, não havendo espaço para medo ou culpa. Mas a procissão passou a visitá-lo… Todos os dias chegava alguém com um andor às costas, carregado com o peso da sua alma" "O velho Abel era sensível aos valores das almas dos homens que o procuravam e penetrava os espíritos com profundidade. Eram homens e mulheres em busca de um pedaço de céu. Para aqueles que o procuravam, ele interpretava magicamente as suas vidas e mudava-as para melhor, diziam. Quer fosse através das violetas e dos seus poderes medicinais, quer fosse através da força das palavras modeladas pela voz do coração, a quinta tornara-se o oráculo das gentes do sul." "Ali, tudo era colocado no seu devido lugar e as coisas, exceptuando os laços que mantemos com quem amamos, tinham a importância que tinham. E, na maioria das vezes, era pouca…" (http://www.edi-colibri.pt)"

São do tipo que costumo chamar "leitura rápida e despreocupada", ideiais para as minhas fases de "stress laboral". Gostei!!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Palácio Nacional de Queluz

Tenho um gosto especial pelos vários palácios portugueses e, sempre que a oportunidade surge, vou visitar um.
Desta vez foi o Palácio Nacional de Queluz. Deixo aqui o link, para uma visitinha a partir do sofá:
www.pnqueluz.imc-ip.pt

Infelizmente, os preços das entradas ainda constituem um fator repulsivo: quatro adultos pagámos 34 euros!

Gostei especialmente dos lustres do teto e das pinturas de motivos florais que estão em algumas paredes.

Estou com dificuldade em colocar as minhas próprias fotografias no blog, assim que resolver a situação, venho deixá-las.

Até lá, fica esta linda imagem, que retirei daqui http://escritoresdepalmoemeio.blogspot.pt

domingo, 2 de dezembro de 2012

Boas Ideias


Resolvi mostrar algumas ideias que achei interessantes...

Não são minhas, mas também não sei a sua fonte, foram-me chegando via facebook e hoje decidi partilhá-las.

Uma ideia extraordinária para quem,como eu, usa écharpes ou cachecóis praticamente todos os dias da sua vida..

E algumas ideias giras que poderemos pôr em prática já este Natal:
Uma árvore de Natal muito original, ideal para quem tem amiguinhos de quatro patas em casa. Assim evitam-se despesas extra, pois é possível usar as decorações de anos anteriores, e não há estragos nem confusões.
 
 

Caixinhas para presentes, que poderão ser feitas de papel ou de feltro, reutilizadas posteriormente para outros fins e que, sem dúvida, conferem um charme especial aos presentes que queremos oferecer...


Achei esta coroa de Natal muito bonita, foi uma das hipóteses que equacionei antes de fazer a da Minha Casinha, mas tive dificuldade em furar as rolhas e não tinha as bolinhas/guizos necessários. Mas fica "debaixo de olho"!

 
Achei estes anjinhos muito giros, fáceis de fazer e com poucos recursos: um rolo de fita e uns guizos. Fiz as contas aos custos e seriam necessários 3euros para fazer entre 12 e 16 anjos, dependendo da mendida da fita.
Para a árvore de Natal na parede também são uma opção a considerar...
 

 Estas pinhas também são uma opção gira, simples e a baixo custo...

Uma enfeitezinho em velas que já tenhamos em casa, para lhe fazer um ar mais delicado ou mais natalício, dependendo dos materiais que utilizarmos...
 
E, para já, é só.
Não façamos do Natal uma época de desperdício e gastos a mais, foquemo-nos nos valores essenciais da quadra e nas coisas simples da vida!!

domingo, 25 de novembro de 2012

Coroa de Natal


Não costumo ter Coroa de Natal, mas este ano decidi fazer uma!
Já há algum tempo que comprei uma coroa de esferovite.
Sei que podia ter arranjado uma forma de a fazer, vi várias hipóteses na internet, mas encontrei esta à venda por um bom preço e decidi comprar. Mas também decidi que era a primeira e única por um bom tempo!!
Teria então de a decorar de forma que pudesse ser novamente utilizada noutros anos/circunstâncias.
Comecei por forrá-la com um cordel que já tinha, para lhe dar um “ar rústico”.



O Kiko achou por bem inspecionar o decorrer dos trabalhos…

Quando acabei de forrar a coroa com o cordel, estava assim:
 
O início e o fim do cordel estão presos com alfinetes, tal como as bolas, as florinhas e o lacinho.

 
 E já está, a minha primeira Coroa de Natal, feita com muito carinho e dedicação, mas de forma a puder ser desmanchada e reutilizar todos os materiais.

 

Usar apenas três bolinhas fazia um efeito visual mais bonito, mas decidi que haviam de ser quatro, uma por cada domingo do Advento!

Agora o desafio vai ser encontrar a melhor maneira de a prender na porta de entrada da Minha Casinha d'Aldeia...

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Novo mini presépio

Tenho um novo mini presépio na minha mini coleção!

Não é nada de especial, comprei nos artigos de Natal de um conhecido hipermercado.


Gostei dele porque dá para pôr uma velinha e ainda não tinha nehum que desse!!

domingo, 18 de novembro de 2012

Borboletas na minha janela

Chegaram-me à mão (e a custo ZERO!!) uns pedacinhos de cartolina giríssimos, às bolinhas. Uns eram laranja de um lado e amarelo do outro e os outros tinham dois tons de azul.
 
Não sabia bem o que fazer com eles, mas vi uma imagem que me inspirou… Foi esta aqui: http://www.copyepaste.com
 
Então foi deitar mãos à obra: uma pesquisazinha básica na internet para encontrar um molde e as borboletas às bolinhas começaram a aparecer na minha mesa de trabalho…
 

 


O Sr Kiko agora decidiu que, quando eu me sento naquele lugar, ele vem para o meu colo e ali fica até que eu termine, mesmo que o ponha no chão vezes sem conta!

Depois de todas as borboletas cortadas, foi só começar a furá-las e uni-las todas com fio de carreto.

 
Coloquei um lacinho azul claro no início, para dar um “arzinho” mais fofo e dois guizos no fim, para fazer barulho com o vento, pois queria colocar as minha borboletinhas na cortina do escritório.
 
Gosto do efeito visual, mas, sobretudo do som dos guizos!!

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Licores

Este ano resolvi que os presentes de Natal vão ser AINDA mais caseiros e personalizados.
De original vão ter pouco, mas estão a ser preparados com muito carinho.
Comecei pelos Licores, um de Canela e um de Whisky, fiz como vi aqui:
 
Licor de Canela
Ingredientes:
 
750ml aguardente;
4 paus de canela;
350g de açúcar;
150ml de água.

Preparação:
Colocar a aguardente num frasco de boca larga e juntar os paus de canela. Tapar bem e deixar repousar 15 dias a 3 semanas.
  
Passados 3 dias, já está assim:
 

Passadas as 2/3 semanas, colocar o açucar num tachinho com a água e deixar ferver durante 10 minutos em lume brando.
Esperar que arrefeça e juntar a mistura de aguardente com a canela.
Mexer bem para combinar e colocar nas garrafinhas.

 

 
Ingredientes:
1 lata de leite condensado;
1 medida da lata de Whisky;
1 colher de chá de café solúvel;
1 colher de chá de chocolate em pó.

Preparação:
A preparação mais simples do mundo: misturar muito bem todos os ingredientes, colocar a mistura numa garrafa e está pronto a servir.

E o resultado final da minha primeira experiência no mundo dos licores foi este:
 



domingo, 11 de novembro de 2012

Lavanda ou Alfazema

Fiquei a pensar na questão da distinção entre Lavanda e Alfazema e fui procurar. Encontrei uma explicação que achei adequada.
 
Texto retirado de http://perfumesbighouse.blogspot.pt, com ligeiras adaptações e supressões.
 
Lavanda e alfazema! Representam o mesmo género embora existam pequenas diferenças entre espécies e subespécies.
 
Popularmente chamadas de lavanda, alfazema, nardo e espicanardo (português), lavender (inglês), lavande ( françês e italiano), lavandula ( espanhol) .


O gênero botânico Lavandula abrange várias espécies de pequenos arbustos muito comuns em jardins, onde são usados para ornamentação, estando aclimatada em várias regiões do mundo.
 
Encontrada originalmente na região do mediterrâneo, Lavanda foi batizada de nardus pelos gregos em função da cidade síria Naarda, e de alfazema pelos árabes.
 
Relacionada com tranquilidade e pureza, estas representantes do planeta mercúrio, eram aditivo para banhos gregos e romanos, sendo a explicação para seu nome derivado do latim - lavare. Também era comum como aromatizadora de roupas íntimas de cama e banho.
 
Na época da peste conta-se que os habitantes de Grasse não eram atingidos pela doença devido ao costume de perfumar suas luvas de couro com lavanda.
 
Nas duas grandes Guerras Mundiais foi utilizada como antisséptico e higienizante em feridas dos soldados.
 
Flores delicadas, geralmente arroxeadas, são apreciadas em arranjos florais secos, poutpourris e sachets aromatizadores de ambiente.
A fragrância fresca e agradável é utilizada para vários fins: medicina ayuvérdica , aromaterapia, repelente para alguns insetos e parasitas, indústria da perfumaria e de cosméticos.
Melíferas, são muito atrativas para abelhas.
 
As suas propriedades terapêuticas são vastas:
  • calmante (stress e tensões nervosas);
  • sonífero (insónia);
  • analgésico (cólicas menstruais e estomacais);
  • cicatrizante (irritações da pele, queimaduras);
  • antisséptico (picadas de insetos e infeções de pele);
  • antiespasmódico relaxante (dores musculares).
Entretanto,  observa-se  que, no uso contínuo e prolongado, pode ser tóxico.



quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Máquina de costura, finalmente!


Finalmente tenho uma máquina de costura para “chamar de minha”! Não é nada de especial, mas é mais que suficiente para mim.
Ainda não sei trabalhar lá muito bem com ela, pois o trabalho aperta e ainda não tive tempo para me dedicar ao assunto. Só tentei coser a direito, para fazer uns saquinhos de pano (“Talegos”) para usos diversos.
 

Este é o meu primeiro taleguinho, totalmente feito por mim! Coloquei-lhe um sabonete de lavanda dentro e vou usá-lo para “dar cheirinho” no roupeiro do quarto.

O sabonete que usei foi este:


Estou feliz com o meu 1º saquinho de cheiro, alegra-me a vista e deixa um cheirinho que me agrada muito, apesar de não saber  distinguir muito bem se é lavanda ou alfazema…

Nas fotografias dá para ver a toalha que tenho na minha mesinha de trabalho. Mostro mais ao pormenor…
 
 
E também a minha caixinha/latinha de costura, que herdei da Avó e que mantenho igualzinha, só acrescentei algumas peças à medida que fui necessitando delas.