Seguidores

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Quartinho dos meus piolhos

Aos poucos, muito devagar, aquele que será o quarto dos meus piolhinhos vai tomando rumo. Por enquanto, ainda dormem connosco no quarto. Hoje* queria mostrar alguns objetos que estão neste canto, coisas muito simples mas que, para mim, fazem sentido assim.
*Comecei a escrever este post dia 5 de novembro!!

 Forrei duas telas com tecido às bolinhas e, com a pistola de cola quente, colei as iniciais dos nomes deles e um pequeno anjinho que a Avó trouxe de Fátima, ainda eu estava grávida.
Por trás, as telas ficaram assim:
 O processo...

O anjinho é muito pequenino e delicado.


Assim dá para perceber o quão pequeno é.


Esta camioneta que está em cima da cómoda era do pai. Veio do estrangeiro, fez muito sucesso entre os miúdos da altura. (Ainda não tive tempo de selecionar fotografias para colocar nesta moldura e numa outra grande que quero colocar noutra parede :( )


Está em bom estado, apesar das luzes já não funcionarem e de se notarem na pintura as muitas horas de brincadeira que proporcionou. Desmontei-a para a limpar adequadamente, com um nervoso miudinho causado pelo receio de não conseguir voltar a aparafusar e encaixar tudo novamente. Já não se fazem brinquedos assim.



A cadeira de praia que tenho neste canto não é propriamente elegante para um quarto de bebé, mas foi a solução mais prática. É muito confortável para me sentar e não valia a pena estar a investir noutra cadeira mais adequada, pois naquele lugar irá ficar a caminha que agora ainda está no meu quarto.


Cobri a cadeira com uma mantinha de crochet feita a várias mãos, de diferentes gerações, da qual já falei aqui e aqui. Alegra-me a vista e aquece-me o coração vê-la no quarto dos meus filhos.

Junto à janela tenho estas tapeçarias, não sei se será este o nome adequado.
 Foram-nos oferecidas por um senhor que trabalha com  o pai, trabalho artesanal da sua filha. São feitas num tear, gostei muito do presente.


E, aos poucos, o quartinho deles vai tomando forma. Nada de extraordinário, mas tudo feito com muito amor e carinho. 

Tenho ainda muitos projetos, mas as 24 horas do dia são poucas para tudo o que tenho entre mãos e acho que muitas coisas que gostaria de fazer não vão passar disso mesmo, projetos.

Até breve!!

sábado, 16 de julho de 2016

Miminhos

:) 
A pouco e pouco, entre idas ao hospital, ao centro de saúde e uma grande constipação, lá consegui fazer umas (poucas) coisinhas das que tinha previsto.
Tenha esta cesta de verga há uma série de tempo, nem me lembro já com que objetivo a comprei. Achei que era adequada para a parafernália de produtos de higiene que são necessários.

Pedi à minha mãe para fazer um forro:

E eu cosi esta fita de bolinhas à volta.

Resolvi fotografar com as mantinhas, que entretanto também consegui acabar, e não com os produtos a que se destina, não vou fazer publicidade. ;)


Consigo fazer pouco, mas faço com todo o carinho!
Até breve!!

quarta-feira, 15 de junho de 2016

As razões da minha ausência

Tal como referi na mensagem anterior, ando mais afastada do blog por razões de trabalho.

Mas não só...

Imagem retirada daqui

A cegonha está para aterrar aqui pela Minha Casinha d'Aldeia e vem muito bem acompanhada!! 
Traz-nos dois meninos. Estamos muito, muito felizes!

Não tem sido uma gravidez fácil, mas, com a ajuda de Deus, está a correr bem e durante o verão receberemos os nossos meninos de braços abertos e coração cheio.

Ao contrário do que desejava, já entrei de baixa, tenho mesmo de repousar. 
Até agora não tive tempo (muito menos energia) para começar as coisinhas que idealizei para os meus meninos. Espero que nesta fase que se aproxima consiga dedicar-me mais às "artesanices" e partilhar convosco o que for surgindo.

Para já, só consegui fazer uma mantinha para o ovo e começar a segunda.
Fiz exatamente igual às que fiz para os primos. Além de ser um esquema ultra básico (ideal para quem passa a vida na cama ou no sofá), acho uma certa graça todos os bebés da família terem uma mantinha igual.

A da Maria Clara:
 A do Santiago:

E a da minha afilhada Inês, que, enquanto fiz a manta não sabia ainda como se ía chamar, nem que ía ser minha afilhada.


Vamos ver o que consigo fazer a seguir às mantinha, ideias não me faltam.

Até breve!!

sexta-feira, 4 de março de 2016

Bolinhos de azeite

Olá! :) 
Tenho andado sem postar nada no blogue, mas isso não significa que o tenha abandonado, nem que tenha deixado de seguir outros blogues... Arranjei um part-time que me garante um dinheirinho extra, mas que me obriga a reorganizar as atividades diárias e me deixa menos tempo para os hobbies.

Mas, adiante, hoje queria partilhar uns bolinhos de azeite que fiz e que acho que são de repetir, pois são deliciosos (nós achámos!) e muito fáceis de fazer.

Simplifiquei umas receitas que vi na internet, tendo em conta os ingredientes que tinha em casa e os nossos gostos. 
A receita final foi:
  • 3 ovos;
  • 150 gr de açúcar amarelo;
  • 75cl de azeite;
  • 400 gr de farinha;
  • 1 colher de vinho do Porto;
  • Raspa de um limão;
  • Uma gema de ovo batida com uma colher de leite (para pincelar).
Preparação:
  1. Numa tigela, amassar a farinha, os ovos, o açúcar e o azeite;
  2. Juntar o vinho do Porto e a raspa de limão e continuar a amassar;
  3. Ir amassando até que a massa fique capaz de fazer bolinhas (se a deixarmos repousar uns minutos resulta melhor, descobri depois!)
  4. Fazer bolinhas (eu optei por fazer pequeninas, apesar de dar mais trabalho assim);
  5. Pincelar os bolinhos com a gema batida com o leite (eu esqueci-me de pincelar uma fornada e também ficaram bem).


Esta receita deu uma aproximadamente 50 bolinhos pequeninos, o pires que aparece na primeira fotografia é de uma chávena de café. Na primeira fornada deixei bastante espaço entre eles, pois não sabia como iriam "evoluir" durante a cozedura. Nas seguintes já os coloquei muito mais próximos, pois "crescem e alargam" muito pouco.


E num instante se foram todos, ora com um cházinho, ora com um café (por isso é que os fiz pequenos) ora a seco só porque sabiam bem, desapareceram num ápice!

Até breve!! 

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

98 anos extraordinários

Tenho o privilégio de morar ao lado de uma pessoa extraordinária! A minha vizinha Ana Rosa, já falei dela aqui e aqui. Tem uma filosofia de vida e uma forma de encarar o mundo dignas de registo.

Veio oferecer-me estas flores, colhidas no seu quintal, o seu lugar preferido.



Não teve uma vida fácil, antes pelo contrário, mas tem uma alegria de viver pouco comum. 

Não resisto a registar aqui a nossa conversa há poucos dias, pois aos 98 anos ainda faz planos a médio prazo. Explicou-me que no próximo verão (quando fará 99!) irá mandar um pedreiro fazer umas modificações no canteiro, mesmo que nesse ano os bolbos não saiam muito bonitos. Conclusão: tem 98, aos 99 arranja o canteiro para, a partir dos 100 semear os bolbos sem preocupações!! :)

O convívio com ela é uma lição de vida!


Até breve!!

sábado, 5 de dezembro de 2015

Casaco de crocet

Com base num casaquinho creme que a minha mãe fez para mim, decidi experimentar fazer um para a minha sobrinha. Nunca tinha feito nenhum, foi a primeira vez que tentei e até estou feliz com o resultado final (gaba-te cesto!! ;)).

 Experimentei primeiro com uma lã cinzenta que sobrou de uma mantinha, para conseguir adequar o tamanho ao nº de pontos altos necessários para cada um dos lados.


Começa-se pelo pescoço, faz-se o tronco todo, depois as mangas e só depois o gorrinho.




 Não têm botões, nem o creme que a mãe fez para mim, nem o branquinho que eu fiz para a minha sobrinha. Aperta no pescocinho com uma espécie de cordão, que depois faz um lacinho. É para vestir com umas jardineiras.

Gostei muito de o fazer! 
Até breve!!

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Dois gorrinhos vermelhos para dois irmãos

Fiz dois gorrinhos iguais para dois irmãos, meus priminhos...
Comecei o primeiro gorro no último dia de praia, no fim de setembro.

Usei lãs e agulhas com espessuras diferentes, o que originou gorrinhos de tamanhos diferentes. No mais pequeno trabalhei com lã Coral e agulha 3.00 mm; no maior usei a lã Miltons que já usei N vezes e a agulha nº 4.



Quando os comecei, achava que seriam já presentes de Natal. Mas agora estou com dois problemas: controlar a vontade enorme de ver as suas cabecinhas quentinhas com os meus gorrinhos e algum receio de que o mais pequeno deixe de servir, porque a criança está a crescer "a olhos vistos"...
Vamos ver, mas acho que os vou dar já.
Até breve!!